Uruguay, simples y natural!!!


Bueno, como escrito na publicação passada, desta vez deixaremos um pequeno relato dos pontos turísticos visitados e informações gerais da nossa viagem ao Uruguai.
Foram aproximadamente 3.400 quilômetros percorridos entre ir e vir de Florianópolis ao país vizinho. Entramos no Uruguai por Jaguarão e saímos pelo Chuí/RS. Os trechos de Laguna/SC e Pelotas/RS foram os piores encontrados devido as condições da estrada e ao transito. Perde-se MUITO tempo nos congestionamentos e CAUTELA é necessária. LOCAIS PERIGOSOS!!! Caminhões e faixas simples são os obstáculos por longas distâncias.
Todas as dúvidas sobre a documentação necessária para entrar com carro brasileiro no Uruguai encontramos na internet. Mas, também entramos em contato por telefone com o consulado em Porto Alegre/RS. Sugerimos que isso seja feito, há pouca burocracia, porém obrigatória.


Para a distância que andamos os custos com gasolina foram por volta de R$ 800,00. Usamos um carro com motor 1.6, estávamos carregados de pranchas e bagagens (roupas de frio são pesadas!). Com pedágios brasileiros e uruguaios gastamos pouco menos de R$ 80,00; um fato interessante é que nos pedágios de lá aceitam moedas de outros países (reais, dólares, pesos argentinos) para o pagamento, diferente do nosso país.
As estradas (Rutas) que transitamos eram impecáveis. Bem sinalizadas e em ótimas condições. A acessibilidade entre as praias é incrível. Usamos o google mapas como fonte de referência e encontramos todos os lugares que procuramos numa boa.


Montevideo, capital do país, foi nosso primeiro destino turístico. Cidade MUITO bacana. Acessível, interessante e pulsante!!! Passamos um dia no centro histórico caminhando de um lado pro outro. Lugares indicados para um rolê: Plaza de la Independencia, Avenida 18 de Julio, Mirante de la Intendencia, Mercado del Puerto e o Museo Historico Nacional.  Este último, uma ótima opção para o entendimento da história da criação dos governos independentes da América do Sul e Central. Um salve ao General Artigas!

Vale a pena pegar um pôr do sol em algum ponto da Rambla (Orla), é espetacular! Bem como tomar um vinho/cerveja com “una mussa” (pizza de mussarela) em algum bar qualquer.


Em todos os lugares que fomos no país encontramos um povo simpático e atencioso.
Saindo da cidade vivenciamos as paisagens incríveis do pampa. O meio rural próximo à praia. Gado, cavalos, fazendas e ondas! Entre uma sessão na água e outra tivemos a satisfação e grata surpresa de conhecer Valizas, José Ignácio e Cabo Polônio.


Valizas. Simples e natural, assim está escrito na placa de entrada da estrada de chão batido que leva ao balneário. Com uma saída de rio, a barra de Valizas  é um local bucólico, sereno e espetacular. Um pico meio hippie, com dunas que limitam o parque nacional de Cabo Polônio. Bonito pá caraca!

Cabo Polônio é outro destes lugares onde nos sentimos num universo paralelo, onde o tempo corre diferente. Uma península de mares revoltos, ilhas rochosas e bancadas de areia que formam correntezas perigosas junto das trocas de maré. Casas simples e de arquitetura pitoresca, grande população de lobos marinhos, lojinhas de artesanatos onde não há eletricidade nem água encanada. Resumindo, ALUCINANTE!


Entre La Pedrera e Punta del Diablo há enormes Butiazais, árvores com idade estimada de 200 anos. Diferente e interessante de ver!


Pontos relevantes:
- Frio! Muito frio!
- Preços, de um modo geral, equivalentes ao Brasil. Estadia em La Pedrera, por exemplo, fica entre R$ 20,00 e R$ 250,00 por pessoa, depende do conforto que tu procuras.
- Os valores do câmbio que vimos ficaram entre $ 9,10 e $ 9,80 (R$ 1,00/um real = $ 9,80/nove pesos e oitenta).
- A gasolina é cara!!! Entre $41,20 à $41,80 (quarenta e um pesos e oitenta centavos). 
- Encontram-se itens muito baratos e outros muito caros comparados à Florianópolis, a importação e produção local ditam estes valores.
- Experimente as carnes e os derivados do leite locais! Bons preços e ótima qualidade!
- Se tu comes carne, sugerimos uma Parillada e um Chivito!
Abração e até a próxima!
Fotos: Natália Tedy.