Trilha do Pitoco, Chapecó, Santa Catarina, Brasil!!!

IMG_0330_2Vez em quando temos a oportunidade de viajar a trabalho para lugares alucinantes, nesta publicação seguem algumas informações a respeito de Chapecó, no “velho oeste” catarinense, cidade altamente desenvolvida, super bacana, com pessoas incríveis que oferece ótimas atrações e atividades ao ar livre, além de uma cena rock´n roll interessante em pubs com boas cervejas! IMG_0336_2 Sobre as atividades ao ar livre sugerimos e destacamos a trilha do pitoco, que assim é descrita pelo site da Prefeitura Municipal de Chapecó: 6e3a33367d14d4f035d651390034bdd5 “Localizada na Linha Alto Capinzal/Distrito de Goio-en, 28 km distante do centro da cidade de Chapecó, a Trilha do Pitoco faz parte do atrativo natural composto por bela paisagem e 05 cachoeiras, que variam entre 08 e 45 metros de queda d’água. Já na primeira cachoeira há uma piscina natural com águas límpidas, próprias para banho. São percorridos cerca de 3 km de trilha (ida e volta) com destino a um verdadeiro recanto ecológico. 28331d06e381f2a7b3dd3cf5b7687261 IMG_0353_2 IMG_0362_2 O nome da trilha deve-se ao fato de que o cachorrinho “Pitoco”, pertencente a Família do Sr. Gumercindo, conhecia muito bem o caminho e recebia os turistas. Propriedade particular. Informações 8805-2489 / 3319-9205.” http://www.chapeco.sc.gov.br/turismo/pontos-turisticos.html#/trilha-do-pitoco IMG_0378_2 IMG_0407_2 A sugestão de banda local fica por conta da Variantes, que pode ser conferida no seu canal próprio do youtube:

https://www.youtube.com/user/urublues

Aqui um som dos caras:

Sobre a cidade o site wikipedia conta que:

“Chapecó é um município brasileiro do estado de Santa Catarina. Considerada a capital brasileira da agroindústria e capital catarinense de turismo de negócios, foi totalmente planejada, e seu traçado é em forma de xadrez. Com uma população estimada em 202 009 habitantes, está localizada no Oeste Catarinense, na inserção da bacia hidrográfica do rio Uruguai, cujo curso define a divisa com o estado do Rio Grande do Sul…”

Um pouco da história da cidade, também de acordo com o wikipedia:

“São diversas as hipóteses relacionadas à origem e ao significado do nome do município. Todavia, a suposição mais difundida aponta “Chapecó” como vocábulo de origem kaingang, que significaria “Donde se avista o Caminho da Roça”. À parte a ocupação da região por povos indígenas – sobretudo kaingangs e, em menor proporção, guaranis – desde tempos imemoriais, acredita-se que os primeiros exploradores a percorrer o oeste catarinense tenham sido bandeirantes paulistas, ainda no século XVII. Há, entretanto, historiadores que sugerem que a região já teria sido pisada por homens brancos em meados do século XVI. De qualquer forma, pode-se afirmar que o território que atualmente compõe o oeste de Santa Catarina foi pouquíssimo explorado até pelo menos o início do século XIX. A partir de então, em função de uma frente agro-pastoril vinda do norte, a região passa gradativamente a ser ocupada por criadores de gado. Tal fato está relacionado com a descoberta, por volta de 1839, dos chamados “Campos de Palmas”, os quais vinham sendo procurados havia tempo por fazendeiros que já tinham ocupado os campos de Guarapuava. Dessa forma, graças à demanda dos pecuaristas guarapuavanos por novas áreas de pastagem, grandes porções do atual oeste catarinense começaram a ser ocupadas por fazendas de criação. Com a expansão das atividades pecuárias, surge a ideia de abrir-se uma estrada – ou caminho de tropas – que ligasse os Campos de Palmas à região missioneira do Rio Grande do Sul, a fim de viabilizar uma nota rota de tropeiros no sul do País. A abertura desta estrada – que ficou conhecida como “Caminho das Missões” – deu-se por volta de 1845, e para tanto foi decisiva a atuação do Índio Condá. Cacique kaingang de grande ascendência sobre os índios da região, Condá, que relacionava-se bem com os novos povoadores brancos, concordou em apaziguar os indígenas que habitavam os lugares por onde passaria a futura estrada de tropas. O “Caminho das Missões”, logo após ter sido aberto, passou a receber um grande fluxo de tropeiros. Esta nova rota lhes era vantajosa porque encurtava consideravelmente o trajeto entre o sul do Brasil e as feiras de gado de São Paulo. Além disso, passando por ali as tropas escapavam dos tributos devidos à Província de Santa Catarina, caso utilizassem o antigo “Caminho de Viamão”, que passava por Lages. (Até essa época, a região que atualmente faz parte do oeste catarinense pertencia à Província de São Paulo) O intenso fluxo de tropeiros que passou a existir na região foi responsável pelo aparecimento dos primeiros núcleos de povoamento, que surgiram nos locais de pouso e descanso das tropas. A cidade de Chapecó, de fato, desenvolveu-se a partir de um desses peculiares agrupamentos populacionais. Percebe-se, dessa forma, a importância do tropeirismo para a economia regional na segunda metade do século XIX. Concomitantemente, passou a ser relevante a atividade extrativista de erva-mate na região.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Chapecó

As fotos desta publicação foram feitas por André Carvalho, Arthur Meneguzzo e Bruno Cheuiche. 7761d034f73f09b1a30415e8735d661b